• PT
  • EN
  • ES

CONGRESSO NAB: Um novo começo para a TV broadcasting norteamericana

É assim que está sendo considerado o desenvolvimento do novo padrão ATSC 3.0 de transmissão para o sistema aberto de televisão.

Las Vegas – Durante a década de 1990, os Estados Unidos desenvolveram um sistema de transmissão que privilegiava uma demanda específica: a alta definição da imagem e do som. O mundo ainda não conhecia os dispositivos móveis como tabletes e smartphones e a audiência era mais fixa do que atualmente.

Hoje, essa realidade mudou drasticamente. A alta definição da imagem já não é mais principal atrativo para uma sociedade altamente conectada, interessada cada vez mais na mobilidade e na oferta de conteúdo on demand. Ou seja, o ATSC 1.0 se tornou obsoleto. “Não havia outra alternativa para a indústria de televisão americana a não ser desenvolver outro sistema, pois o padrão atual está distante da realidade e contexto da sociedade atual”, afirmou Liliana Nakonechnyj, diretora internacional da SET, que estava presente na sessão ATSC 3.0 – It’s More than Just Television – no domingo 17/04, nas sessões pré-congresso.

E não se trata de uma frase de marketing, pois as inovações que o novo sistema oferece pode ser considerado mesmo um novo recomeço, pois permitirão a indústria de televisão americana oferecer seu conteúdo dentro das demandas da audiência atual. O sistema tem seu foco direcionado para o transporte por IP, Ultra Definição, mobilidade e publicidade segmentada via SFN – single frenquecy network – se tornando um padrão mais flexível e adaptável. Entre outras coisas o novo padrão irá procurar fornecer um custo efetivo de um para muitos pela plataforma IP; mobilidade, novos serviços, capacidade de direcionar publicidade para alvos específicos, aprimorar o sistema de alerta de catástrofes. “É um avanço significativo e nós do Brasil temos que olhar para o desenvolvimento deste sistema, pois em alguns pontos ele avança em relação ao padrão brasileiro, que é muito bom, mas que provavelmente em um futuro bem próximo, teremos também que discutir e definir que tipo de televisão vamos ter quando esse futuro chegar”, afirmou Liliana.

Pela quantidade de sessões que abordam este tema, é possível dizer que a grande discussão do congresso deste ano será mesmo a implantação do sistema ATSC 3.0 na televisão americana.

 

Por  Francisco Machado Filho e Fernando Moura em Las Vegas