• PT
  • EN

Emilio Acocella é o novo diretor Técnico-Operacional da Telebras

Estatal continua a reorganização após a mudança de governo

O presidente do Conselho de Administração da Telebras, Maximiliano Martinhão, deu posse ao novo diretor Técnico-Operacional da empresa, general Emilio Carlos Acocella. O nome foi aprovado em reunião extraordinária do Conselho de Administração (nº 211)
Maximiliano Martinhão destacou que a Telebras vem desenvolvendo um trabalho progressivo de resultados e de qualidade e a diretoria Técnico-Operacional tem o grande desafio de entregar as implantações necessárias nesse sentido. “A Telebras se tornou um importante instrumento de políticas públicas do governo e essa área é fundamental para o desempenho dessas políticas e para preparar o ambiente para a atuação comercial”, completou.
O presidente da Telebras, Waldemar Gonçalves, agradeceu ao até então diretor Técnico-Operacional, Luiz Fernando de Freitas, que transmitiu o cargo a Emilio Acocella, e salientou: “Ficamos muito felizes em receber o Emilio, e contamos muito com todo o seu conhecimento e experiência aqui na Telebras”.
Emilio Acocella frisou a satisfação em fazer parte da equipe Telebras: “É motivo de muita honra e muita responsabilidade integrar essa competente equipe de uma empresa que, ao olharmos para o passado, lembramos com orgulho de tudo o que ela representou para o país, e no presente, pela grande importância que representa nessa era digital. Pretendo oferecer meu trabalho com dedicação, senso de responsabilidade e conduta ética”, finalizou.

Histórico
O general Emilio Carlos Acocella é doutorado e mestrado em Engenharia Elétrica, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ) e pelo Instituto Militar de Engenharia (IME), respectivamente. É mestre em Administração de Negócios pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), do Rio de Janeiro, e adquiriu especialização em Política, Estratégia e Alta Administração do Exército e em Altos Estudos Militares, ambos pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME).
Foi chefe do Centro Integrado de Telemática do Exército, onde atuou na direção geral dos serviços corporativos de TI e nas atividades de suporte a mais de 600 organizações militares. Cuidou do planejamento e implementação de segurança cibernética no Exército Brasileiro e de diversas redes metropolitanas de comunicações de dados. Atuou diretamente na implantação de parcerias internacionais com a Academia Militar de West Point (EUA) e Paristech (França). Foi assessor do Gabinete do Comandante do Exército para Ciência e Tecnologia, Tecnologia da Informação e Indústria de Defesa, onde desempenhou diversos papeis, com destaque à atuação no Grupo de Trabalho Interministerial, responsável pela proposta de revisão do modelo institucional de reestruturação econômica e financeira da Indústria de Material Bélico do Brasil.