• PT
  • EN

BNDES aprova projeto para expandir fibra óptica no interior de Minas

Empréstimo à StarWeb contribui para que 10 mil pessoas tenham serviços de telecomunicações por rede de fibra ótica, em linha com plano trienal do Banco

Foto: Fernando Moura

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social aprovou financiamento no valor de R$ 10 milhões à StarWeb Telecomunicações Ltda, de Minas Gerais, para aquisição de equipamentos com tecnologia desenvolvida no Brasil e realizar seu plano de investimentos trienal. O apoio do BNDES equivale a 80% do investimento total da empresa, no valor de R$ 12,5 milhões.

De acordo com o chefe do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicações do BNDES, Ricardo Rivera, o empréstimo contribui para que a empresa amplie a cobertura de serviços de telecomunicações por rede de fibra ótica em diversos municípios mineiros. “Desta forma, a população que hoje não dispõe de serviços adequados terá maior oferta de conexão de alta velocidade, com reflexos na qualidade de vida, produtividade e economia nas cidades atendidas”, argumentou. “Além disso, há potencial para criar cerca de 160 empregos, gerando renda e melhorando a qualificação da mão-de-obra a partir do crescimento da empresa”.

A expansão dos serviços de internet de banda larga (fibra óptica) em cidades que ainda não são atendidas possui impacto econômico relevante, ampliando a difusão do conhecimento, geração de valor e aumento de produtividade.

Projeto – A primeira parte do projeto da StarWeb abrange a finalização da rede de transporte de dados entre diferentes municípios, conhecida como backbone, que será ampliado de 2.300 km para 2.900 km de extensão, reduzindo custos operacionais.

A parte seguinte prevê a implantação de redes de fibra ótica para cerca de 25 municípios mineiros, incluindo Boteiros, Campos Gerais, Cambuquira, Carmo de Minas, Carmópolis de Minas, Igarapé, Itatiaiaçu, Lambari, Pedralva, Rio Manso e São Joaquim de Bicas, entre outros. Estima-se que aproximadamente 10 mil pessoas passem a compor a base de clientes de fibra óptica após a expansão. “Esse projeto está em linha com o plano trienal do BNDES, que prevê, no âmbito das entregas para a sociedade de tecnologia da informação e comunicações, novos acessos de serviços de banda larga fixa para 8 milhões de pessoas até 2022”, ressaltou Rivera.