• PT
  • EN
  • ES

Transmissões em Grandes eventos esportivos

Armando Moraes (EVS) mostrou as principais soluções da companhia e explicou como ela está desenvolvendo produtos para acompanhar os novos padrões de consumo de conteúdos esportivos

Armando Moraes (EVS) mostrou as principais soluções da companhia e explicou como ela está desenvolvendo produtos para acompanhar os novos padrões de consumo de conteúdos esportivos

Armando Moraes (EVS), apresentou a comunicação “Soluções avançadas para transmissões de eventos esportivos a vivo”. O executivo mostrou alguns dos desenvolvimentos fornecidos pela EVS para as transmissões dos megaeventos que se realizaram no país entre 2014 e 2016 e apontou as mudanças com as quais as emissoras tiveram que lidar neste contexto.

O aumento no número de câmeras para mostrar os vários ângulos de um mesmo evento – incluindo câmeras com altos frame rates para geração dos Super Slow Motions – “gerou a necessidade de mais canais de gravação dentro do já apertado espaço das Unidades Móveis, ao que se junta a necessidade de inserir gráficos, metadados e efeitos em real time, para atender não só ao Broadcast, mas também à grande demanda de conteúdos para vários dispositivos em Multi Plataformas”, ressaltou Moraes.

No Mundial 2014, foi possível rentabilizar os conteúdos em diversas plataformas, explicou o gerente de Projetos da EVS no Brasil. Ele afirmou, ainda, que as soluções da companhia, em termos de transmissões esportivas ao vivo – eventos tão ou mais complexos do que as super produções de concertos, shows musicais e de entretenimento – têm feito com que a empresa desenvolva produtos que possam atender a estas exigentes necessidades de uma indústria em transformação.

Antes de encerrar a sua exposição, Armando Moraes mostrou as principais soluções da companhia e explicou como ela está desenvolvendo produtos para acompanhar os novos padrões de consumo de conteúdos esportivos: “Tivemos que colocar os equipamentos em unidades móveis cada vez menores que precisam de soluções integradas e que ocupem menos espaço”, concluiu.