• PT
  • EN
  • ES

Transmídia, Big Data, transmissões via satélite e master control debatidos em Fortaleza“

Big Data, sensoriamento, IOT, StartUps, drones, mobile, wearables, realidade virtual e transmídia” foram os temas da instigante palestra de Rodrigo Arnaut no Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, em Fortaleza, onde se realiza o SET Nordeste 2016.

Rodrigo Arnaut

Rodrigo Arnaut

Vice-diretor de TV por Assinatura e Novas Mídias da SET, Media Engineer no Esconderijo.xyz, professor na FAAP, e presidente do grupo EraTransmidia, Arnaut trouxe à capital cearense uma visão 360 do mundo do Big Data, do sensoriamento, da IoT (Internet of Things), das startups, dos drones, das aplicações mobile, do wearables e da Realidade Virtual, comentando as oportunidades de inovação tecnológica na garantia da qualidade do conteúdo e de produção de TV.

Para o presidente do grupo EraTransmidia, a análise dos “big dados” e das tecnologias presentes em todos dispositivos conectados é fundamental, porque vivemos em um mundo de múltiplas plataformas de mídias (Apps mobile, OTT, VOD, IPTV, smartTVs, Ginga iDTV, Portais web, webTV, podcasts, Games) e em uma nova realidade da produção audiovisual.

Assim, os desafios de gestão da inovação com empreendedores, makers, criativos, visionários e startups são fundamentais no mundo convergente no qual estamos inseridos e no qual o “Big Data está presente em todos os âmbitos da vida, de alguma forma. O Big Data e seu volume é tudo o que temos em termos de dados porque com ele as organizações coletam dados de uma grande variedade de fontes que definem o sensoriamento de cada equipamento que traz o conceito de internet das coisas (IoT)”, ponderou Arnaut.

Arnaut disse, ainda, que a Internet das Coisas avança como “um modelo de negócios complexo, com um mercado cada vez maior em termos de negócios e que, em 2020, terá mais de 50 bilhões de devices móveis no mundo, dos quais um terço serão dispositivos que contenham telas que podem exibir e receber conteúdos audiovisuais”.

Para finalizar, o executivo destacou que, em realidade virtual, “usar óculos de VR é como sonhar acordado”, isso porque o usuário “está imerso na tela e não sai dela, tudo que ele vê é através dos óculos. Na VR, temos imersão em ambientes além do mundo real. Mas, neste mundo, temos Realidade Aumentada (RA) com um uso de objetos gráficos sobrepostos em imagens reais; e Realidade Mixada (MR), unindo imersão com objetos associados ao ambiente virtual e simulando que estes objetos estão no mesmo plano, sejam reais ou não”.