• PT
  • EN
  • ES

Sistemas irradiantes

A transmissão mediante o uso de antenas foi um dos temas do encontro regional da SET em palestra ministrada por José Roberto Elias (IF Telecom).

“Diferentemente do que muita gente diz, as antenas não vão a acabar. São dispositivos que sempre serão necessários. O ser humano é um ser móvel e, para ter sinais fixos ou móveis, precisamos de antenas”, defendeu o gerente comercial da IF Telecom, na comunicação “Sistemas irradiantes: otimizando a relação custo/beneficio”.

O palestrante abordou, também, aspectos técnicos e econômicos quanto às escolhas de antenas de FM (migração AM/FM) e TV Digital e mostrou alternativas econômicas que levam em conta o máximo desempenho para o projeto de uma emissora de broadcast.

Para Elias, a questão passa pela otimização de recursos com uma “solução balanceada, que possa ser econômica, mas continue assegurando a recepção, pelo que é fundamental a análise completa do projeto. De tudo, o mais importante é a confiabilidade de operação de uma estação”.

Nesse sentido, o executivo afirmou que os projetos devem ter eficiência na sua irradiação com uma boa “parametrização dos equipamentos transmissores”. Isso é possível em TV Digital, por exemplo, utilizando ferramentas de simulação e tendo em conta que podem existir problemas de cobertura.

Elias explicou as diferenças entre as antenas que podem ser utilizadas para transmissão de TV Digital, indicou as diferenças e as virtudes entre elas na hora de realizar uma transmissão e mostrou como são encontradas e minimizadas “as deformações dos diagramas de radiação, uma situação inevitável na prática, mas que pode ser minimizada dependendo da instalação da antena e do projeto”.