• PT
  • EN
  • ES

SES

Pré-NAB 2017 – Parte 2

Como referimos na edição anterior, as mudanças da indústria audiovisual têm sido tão significativas na segunda décadado século XXI que feiras tradicionalmente de equipamento de hardware como a NAB têm se voltado quase inteiramente para soluções de software abertas que brindem aos broadcasters plataformas agnósticas. A edição 2017 da maior feira de tecnologia audiovisual do mundo promete trazer novidades importantes para um mercado cada vez mais convergente e global.Nesta edição apresentamos a segunda parte do resumo de algumas das principais novidades que serão exibidas na NABShow 2017, que se realiza como já é costume no Las Vegas Convention Center, de 24 a 27 de abril de 2017, e que espera superar os 103.012 visitantes chegados de 187 países aos seus cinco pavilhões com mais de 1.800 expositores

por Redação

SES

SES terá como um dos seus principais destaques na edição 2017 da NAB o seu novo satélite, o SES-10 que foi lançado com sucesso na quinta- feira, 30 de março, no foguete reutilizado Falcon 9, da SpaceX. O satélite situado a 67 graus Oeste irá fornecer transmissão diretamente para lares e empresas, e serviços de mobilidade em toda a América Latina.
O satélite SES-10 é, segundo informou a empresa, o primeiro satélite comercial geoestacionário lançado em um foguete já comprovado em voo anterior. Com uma carga útil de “banda Ku de 55 transponders (cada um equivalente a 36MHz), dos quais 27 são incrementais, o veículo espacial multitarefas é o primeiro satélite da SES totalmente dedicado à prestação de serviços para a América Latina, incluindo o Brasil. Os feixes flexíveis de alta potência do SES-10 aumentarão a capacidade da SES na região, fornecendo transmissão para lares e empresas, e serviços de mobilidade”, informou a empresa.
O dispositivo vai substituir a capacidade fornecida atualmente por outros satélites da SES na posição 67 graus Oeste, além de aumentar a capacidade para o México, América Central, América do Sul e o Caribe. Conforme acordo com a Comunidade Andina (Bolívia, Colômbia, Equador e Peru), “o satélite irá operar como o Simón Bolivar 2 da Comunidade Andina, fornecendo capacidade de satélite para cada país andino. O projeto de satélite Andino vem de interesses dos Estados- membros de ter uma rede de satélite comum aproveitando os recursos Andinos do espectro a 67 graus oeste”, afirmaram os executivos da SES à reportagem da Revista da SET.
“O sucesso do lançamento do SES-10, na primeira missão da SpaceX com um foguete com comprovação de voo, abre uma nova era para voos espaciais. Temos orgulho da parceria com a Space X nessa jornada de inovação e uso de foguetes reutilizáveis, que aumentarão a eficiência do acesso ao espaço, em termos de custo e gerenciamento da fila de espera de lançamentos ”, diz Martin Halliwel, diretor de Tecnologia da SES.
Halliwel afirma que a capacidade adicional oferecida pelo SES-10 é ideal para o fornecimento de serviços de televisão, com melhor qualidade de imagem, além de serviços de banda larga mais rápidos – ambos serão aproveitados por milhões de pessoas na América Latina e no Caribe.
Gwynne Shotwell, presidente e COO da SpaceX afirmou que a empresa “esta muito felizes com o lançamento bem-sucedido de um voo Falcon 9 reutilizado. Este é um marco histórico no caminho para a reutilização rápida e completa. Estamos satisfeitos por ter realizado este marco com a SES, que sempre apoiou a SpaceX ao longo dos anos”.
O SES-10 foi construído pela Airbus Defence and Space com base na plataforma Eurostar E3000, o dispositivo utilizará um sistema de propulsão elétrica a plasma para manobras em órbita e um sistema químico para entrada inicial em órbita e algumas manobras em órbita.