• PT
  • EN

Rede Globo realiza demonstração UHD no Brasil

SET News

por Tainara Rebelo, no Rio de Janeiro

Liliana Nakonechnyj em demonstração do UHD no Museu do Amanhã. Foto: Tainara Rebelo

A Rede Globo realizou uma demonstração em UHD da Copa do Mundo de Futebol. A exibição foi para a SET, o Projeto UHD e à comunidade de engenheiros, profissionais e estudiosos do setor de mídia, entretenimento e tecnologia no Brasil. O evento foi realizado na sexta-feira, 13 de julho, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, e mostrou as últimas tendências e soluções de integração entre broadband e broadcast. Foi a finalização de uma avant première ao público do que vem por aí em tecnologia de televisão aberta e por assinatura.
Detalhes sobre captação e transmissão de áudio e vídeo foram discutidos entre os profissionais, e depois apresentados aos participantes do evento uma demonstração de jogos das quartas de final em 4K e da semifinal em 8K.
O áudio e vídeo do 4K e 8K são de alta qualidade e transmitidos por sistemas equipados com a alta tecnologia. “O 4K já começa a ser disponibilizado no Brasil por mídias como a TV paga, por satélite e por cabo, e OTTs. Mas, no que tange à TV aberta brasileira, ainda estamos em fase final de expansão da primeira geração de TV digital”, explicou a presidente da SET, Liliana Nakonechnyj.
A presidente explicou que são duas as frentes em estudo para a evolução da TV aberta: as soluções disruptivas, “a consciência de que a TV vai realmente precisar de inovações, ou seja, novas funções para oferecer o 4K e 8K”, e aquelas que são evolutivas, que poderão ser introduzidas ao longo dos próximos anos, como a ligação da TV com a internet para exibição de conteúdos mais customizadas, especialmente na segunda tela.
“Os estudos que estão sendo feitos são para acumular conhecimento de tecnologia, para que a comunidade da TV brasileira possa contribuir para as decisões mundiais”, comentou o diretor de TV aberta da SET, Raymundo Barros.
Ainda de acordo com a presidente da SET, mesmo sem previsão da implantação dessas tecnologias na TV aberta no país, é muito importante que a comunidade de engenharia brasileira pense agora nessas possibilidades. “São necessários muitos estudos para avaliar o que é mais importante e o que funcionará melhor para nós. E a tecnologia anda cada vez mais rápido, não poderemos mais ter 20 anos entre as primeiras demonstrações e a implantação de uma nova geração tecnológica”, pontuou Liliana.
Para sugerir novos modelos, além da parte técnica, há que se considerar os hábitos de consumo no mundo e no Brasil. “O aumento da qualidade visual é um anseio do ser humano que fica ‘adormecido’, mas quando ele experimenta algo melhor, ele vai querer. Isso aconteceu com a TV digital. Quem aceitaria ver, agora, uma imagem com chuviscos e fantasmas? Ninguém, mas antes as pessoas nem imaginavam que era possível livrarse deles. O 8K vai demorar porque é uma tecnologia ainda em desenvolvimento, mas vejo todo esse trabalho como algo muito importante para que a TV aberta brasileira possa continuar entre as melhores do mundo”, finalizou a presidente da SET.

Projeto UHD Brasil
A televisão sempre teve papel de destaque em informar, entreter e divertir. E desde os primeiros aparelhos em preto e branco, a busca tem sido por experiências cada vez mais realistas e imersivas. No momento em que sedimentamos no Brasil o sinal digital, é também hora de olharmos para o que está além do high-definition: a ultra-alta definição.
O termo diz respeito às resoluções 4K e 8K. Em ambos os casos, o consumidor tem uma experiência de imagem e áudio superiores ao que é oferecido pelo HD. Um televisor 4K tem 3.840 pixels de largura por 2.160 de altura – imagem com quatro vezes mais resolução que o HD. O aparelho em 8K, por sua vez, disponibiliza a imagem de melhor definição existente no mercado atualmente. Sua dimensão, de 7680 X 4320 pixels, tem 16 vezes a resolução de uma TV em alta definição.
Além da definição, que é a propriedade mais conhecida do padrão UHD, existem outros ganhos de qualidade que podem ser explorados, como uma maior gama de cores, variações de luz, além de áudio multicanal. Esses atributos permitem ainda mais realismo e imersão no conteúdo.