• PT
  • EN

Projeto Brasil 4D analisado em livro

Publicação que é resultado de um trabalho de múltiplas mãos, mostra a amplitude do projeto Brasil 4D de televisão pública digital e interativa em sua Etapa Distrito Federal (DF)

por Fernando Moura

© Foto: Divulgação

Os editores da publicação, a professora da UnB Cosette Castro, e André Barbosa Filho retratam e analisam o trabalho de campo realizado no Distrito Federal (DF), mais especificamente nas cidades de Ceilândia e Samambaia, entre os anos de 2014 e 2015, ampliando a experiência da primeira etapa realizada em João Pessoa (PB), em 2012.
“Os capítulos foram pensados a partir de diferentes pontos de vista históricos, mostrando os avanços e dificuldades da TV Digital, em particular a TV pública digital federal no Brasil; das políticas públicas, mostrando o Projeto Brasil 4D como um projeto estratégico de inclusão social e digital, voltado para famílias de baixa renda que vivem no entorno da Capital Federal; da produção de conteúdos audiovisuais interativos e convergentes próprios da televisão digital e também de conteúdos audiovisuais interativos, como jogos, que dialogam com o novo modelo televisivo”, explicam.
O texto analisa ainda a formação profissional em conteúdos audiovisuais, aplicativos e serviços digitais interativos; o design, ao pensar as telas interativas da TV digital em diálogo com as áreas de Comunicação e Tecnologias da Informação; as Tecnologias da Informação (TI), pensando a evolução do middleware Ginga, que possibilita a interatividade na TV Digital através do controle remoto e em outros dispositivos, como os celulares e computadores.
Por outro lado, há destaque especial para a Engenharia, pensando os sistemas de transmissão que possibilitam a chegada da programação digital interativa na casa das pessoas; e as audiências, afinal foi pensando nas famílias de baixa renda que esse projeto foi elaborado e desenvolvido.
O Projeto Brasil 4D – Etapa Brasília é o resultado de um trabalho transdisciplinar – no sentido ofertado por Jesus Martín-Barbero e Edgar Morin, como um diálogo entre as ciências – que começou dentro da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) na formulação do próprio projeto e acabou rendendo prêmios nacionais e internacionais para a TV pública federal e toda equipe envolvida.
O trabalho de campo contou com a participação de pesquisadores, profissionais, empresas, universidades e órgãos do governo federal e distrital. Mais de 50 pessoas deixaram de lado as diferenças teóricas para sentar, pensar, debater, planejar e trabalhar conjuntamente em uma ideia comum: mostrar a viabilidade econômica e social de um projeto de inclusão digital através da capacitação, produção, oferta de aplicativos, conteúdos audiovisuais e serviços interativos na televisão pública digital brasileira.
O projeto, segundo os autores, teve resultado positivo para as audiências que receberam mais informação e entretenimento, com diversidade na programação e puderam participar ativamente através do controle remoto; foi importante para a televisão pública que aumentou o seu público e ofereceu inovação em televisão digital ao possibilitar o uso de recursos audiovisuais interativos.
André Barbosa Filho e Cossette Castro afirmam que o projeto “foi excelente para o Brasil porque mostrou, com uma experiência inédita, que os conteúdos audiovisuais, serviços e aplicativos interativos desenvolvidos gratuitamente para televisão pública digital são um espaço de cidadania e participação popular”.
No livro, os leitores poderão rever o resultado do Projeto Brasil 4D – Etapa DF, mostrando sua evolução tecnológica e em termos de narrativas audiovisuais interativas em relação à primeira etapa realizada em João Pessoa. Os testes de campo comprovaram a viabilidade do Projeto para levar informação, formação e educação, assim como inclusão social e digital, às famílias de baixa renda no Brasil e na América Latina.
“Mas, acima de tudo, mostrou a possibilidade de trabalhar de modo transdisciplinar desde distintas áreas (Comunicação, Design, Tecnologias da Informação, Ciências da Informação, Economia, Políticas Públicas e Engenharia), respeitando, ouvindo e avaliando as diferenças, realizando reuniões coletivas presenciais e à distância, abrindo espaços de diálogo, criação e inovação em prol do bem-comum”, explicaram os autores.
O projeto já recebeu seis prêmios importantes: prêmio SET de interatividade para Televisão 2013, 2014 2015, prêmio Celso Furtado do Ministério da Integração, 2015, prêmio de Interatividade pela CBS, em Nova York, Estados Unidos, 2014, e o prêmio IGF Internacional, Internet Governance Forum, de projeto integração e convergência, representando as Américas, em Istambul, na Turquia, em 2015.
Além de vários capítulos escritos pelos editores, o livro tem prefácio escrito pelo atual presidente da Telebras, Jarbas Valente, e outros diversos artigos sobre o tema: um capítulo denominado “A Interatividade da Radiodifusão para as Políticas Públicas”, escrito pelo gerente executivo de relacionamento institucional da Empresa Brasil de Comunicação – EBC, Nilson Roberto da Silva; “Pilares para a Convergência Digital – um relato sobre a simbiose entre o Projeto Brasil 4D e o middleware Ginga”, dos professores Marcelo Moreno e Carlos Pernissa Jr, da Universidade Federal de Juiz de Fora; “A Interatividade no Coração do Projeto Brasil 4D”, escrito por Alexandre Moreira, Hélder Santos e Hernán Rafael Perrone.
E ainda: “O Projeto Brasil 4D na Visão da Engenharia”, de Wender Almeida; “Organização e Mediação da Informação Pública do Projeto Brasil 4D no DF”, de Cristiana Freitas; “Projeto Brasil 4D no DF: um estudo de caso da construção de narrativas interativas para televisão”, de Raphael Irerê Almeida Leite. E, finalmente, Maria Alice Campos analisou “Criação de Roteiros: integrando ficção e realidade no Projeto Brasil 4D.”

André Barbosa André Barbosa
André Barbosa é professor doutor pela Universidade de São Paulo em Tecnologia e Estética da Comunicação. Foi Superintendente de Suporte da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), e trabalhou como Assessor Especial do Ministério da Casa Civil.
Cosette Castro Cosette Castro
Cosette Castro é Pós-Doutorado na Cátedra da Unesco de Comunicação/ Metodista (2011). É doutora em Comunicación e Periodismo pela Universidade Autônoma de Barcelona/ Espanha. Possui mestrado em Comunicação e Cultura pela PUC/RS (1997); Especialização em Educação Popular pela Unisinos/ RS (1996) e graduação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pelotas/RS (1984). É docente no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Católica de Brasilia (UCB).