• PT
  • EN
  • ES

Pavilhão Brasil confirma sucesso do ISDB-Tb

Iniciativa aproxima empresas brasileiras e o mercado internacional, mas também proporciona negócios em nosso mercado interno. República Dominicana seria o próximo país a adotar o padrão ISDB-Tb para sua migração

por Francisco Machado Filho e Fernando Moura, em Las Vegas

As empresas brasileiras realizaram 766 contatos comerciais diretos na NAB com destaque para broadcasters sul-americanos © Fotos: Fernando Moura

O Pavilhão Brasileiro marca presença na feira NAB desde 2007. A cada ano, o espaço se firma como um local em que as empresas brasileiras se lançam ao mercado internacional. Contudo, é consenso entre os participantes do Pavilhão que, mesmo o foco sendo o mercado internacional, participar desta iniciativa impulsiona negócios também no Brasil.
Este ano, o Pavilhão Brasil contou com a participação de 15 empresas. Roberto de Souza Pinto, presidente do Sindvel, afirma que a feira é muito importante ao país: “O Vale da Eletrônica, através do Projeto PS Eletroeletrônicos Brasil coordenado pelo Sindvel e desenvolvido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), não só participa como é o responsável pela organização do pavilhão brasileiro na NAB, demonstrando e comprovando a importância e a força do evento para impulsionar os negócios, ampliar nossas empresas, gerar emprego e renda para o Brasil”. E isto vem se confirmando a cada ano. Confira abaixo a opinião das empresas participantes desta edição do Pavilhão Brasil na NAB 2017.

© Fotos: Fernando Moura

O Pavilhão Brasileiro e as suas 15 empresas somaram, segundo dados da SindVel, um total de US$ 6,920 milhões de expectativas de negócios para os próximos 12 meses, um número expressivo.
As empresas brasileiras expositoras na NAB realizaram 766 contatos comerciais diretos durante o período da feira, provenientes de países como Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Índia, Japão, México, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Reino Unido e Taiwan. “Importante destacar a presença de sul-americanos no Pavilhão e como os países que adotaram ou pensam em adotar o sistema ISDB-TB de TV Digital se importam pelos nossos produtos,” afirmou à Revista da SET Daniela Saccardo, gerente do PS Eletroeletrônicos Brasil.
Um destaque importante neste ponto foi uma reunião com a Comitiva da República Dominica, país que está discutindo com o Governo Brasileiro a adoção do padrão brasileiro de TV Digital, juntando-se aos outros 19 países que já o adotaram.

O Pavilhão Brasileiro prevê um total de US$ 6,920 milhões de expectativas de negócios para os próximos 12 meses © Fotos: Fernando Moura

A organização destacou, além das inúmeras reuniões que foram realizadas nos 4 dias de evento, as visitas de representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e da ANATEL. “Com a ANATEL conversamos sobre a parceria para realização de Seminários Técnicos no exterior para divulgação do padrão brasileiro de TV Digital e das empresas brasileiras fabricantes de produtos e serviços para o setor”, informou, já no Brasil, Flávia Capistrano, coordenadora do projeto.

Fernando Muller (EiTV)

EiTV
“Nossa empresa tem dois objetivos principais em participar da feira no pavilhão Brasil. Primeiro, divulgar nossa plataforma de armazenamento e distribuição de vídeos baseada na nuvem para o mercado americano e latino americano. Segundo, que a vinda para o congresso e feira é uma oportunidade para reunir todos os representantes da nossa empresa na América Latina. O que é uma oportunidade única para isso. Quanto aos negócios, este ano esperávamos um movimento um pouco maior, mas estamos satisfeitos com nossa participação.”

Alberto Issi (VoiceInteraction)

VoiceInteraction
“É muito importante estar aqui, não só para termos contato com os clientes brasileiros que participam da feira, mas também para a internacionalização. Este ano, a nossa empresa está aqui e também no pavilhão americano. É a quarta vez que participamos do pavilhão e é sempre um ano mais positivo que o outro.”

 

Ulisses Barreto (Tsda)

Tsda
“A Tsda já vem expondo aqui há muito tempo, desde a primeira vez que o pavilhão esteve aqui. A NAB é a principal feira. É nossa porta de entrada no mercado latino americano. Nossa participação este ano já rendeu muitos frutos pra gente. Esse ano em especial nós estamos colhendo, não só o resultado do trabalho que fizemos anteriormente, mas com o retorno de nossos clientes para novos negócios. Tem sido muito positivo e, além disso, estar aqui no pavilhão é um ponto de encontro com os brasileiros que participam da feira e que acabam gerando novos negócios para nós.”

José Marcos e Carlos Henrique Ferreira (Tecsys)

Tecsys
“Para nós, a NAB é uma feira muito importante para alcançar os países que adotaram o padrão brasileiro de TV digital. Nossa empresa participou ativamente do processo de digitalização no Brasil sendo participante do Fórum Brasileiro de TV Digital, temos produtos que atendem 100% a norma e por isso estamos levando nossos produtos para estes países. O pavilhão para nós é muito importante porque ele nos dá visibilidade e oportunidade para as empresas apresentarem suas soluções e como se pode ver nosso pavilhão é o maior entre os estrangeiros. Este ano, o movimento foi um pouco menor, do público latino, mas a presença de brasileiros foi grande e a qualidade dos contatos foi muito boa. Estamos saindo satisfeitos da Feira.”

Michaella Misske (SNews)

SNews
“Nossa empresa é uma empresa que nasceu no Brasil, mas vem crescendo muito no mercado internacional nos últimos anos e tomamos a decisão de ter nosso próprio estande na NAB, além do estande no pavilhão Brasil. A feira tem sido muito boa para nós. Essa estrutura do pavilhão e do nosso estande próprio, tem aberto as portas de vários mercados internacionais. O Pavilhão Brasil ajudou muito a SNews a conseguir ampliar nossos negócios.”

Marco Antonio (ShowCase)

ShowCase
“Este ano, a gente veio para feira para mostrar a acessibilidade na TV no Brasil e nosso produto tem tido um destaque muito bom no mercado internacional. O Brasil está presente na feira mostrando que também tem tecnologia na televisão e o pavilhão permite as empresas brasileiras mostrarem seus produtos com destaque para o mercado internacional. Sinto orgulho em fazer parte deste time.”

Equipe da RF Mídia na NAB2017

RF Mídia
“A importância de estar na NAB está muito alinhada com o posicionamento da empresa que é a internacionalização. Começamos em 2012 fazendo a cobertura da Olimpíadas de Londres para o Brasil e, na Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil tivemos a iniciativa de fazer a cobertura em espanhol. Então, estarmos aqui na NAB nos dá a oportunidade de enxergar novos mercados focando na Copa do Mundo na Rússia. Nós estamos pela segunda vez no Pavilhão Brasil e eu tenho ponderações positivas. Fazendo um comparativo com pavilhões de outros países, a gente percebe o nível da apresentação e da qualidade do pavilhão, além das possibilidades que a Apex e o Sindivel oferecem para os empresários brasileiros”, afirmou Robson Ferri.

Equipe da Opic Telecom na NAB2017

Opic Telecom
“Nós temos dois focos na NAB que é trazer nosso know how tanto da parte do mobiliário técnico e alguns equipamentos desenvolvidos neste último ano para mercado exterior, conseguindo novos mercados, novos contatos e também, estreitar o relacionamento com os brasileiros que vêm para a NAB. Estamos no quinto ano de participação e a gente percebe que antes de uma empresa fazer um investimento, ela quer conhecer o equipamento ou produto. Então muitos negócios são fechados no Brasil após a feira. Para nós da Opic Telecom tem sido uma experiência muito positiva participar da NAB no pavilhão Brasil”, disse Rafaela Oliveira.

Equipe da MStudio na NAB2017

MStudio
“Estar no Pavilhão Brasil tem aberto as portas da nossa empresa para o mercado internacional. O resultado ao longo do tempo tem sido muito positivo, o que nos permite alçar voos maiores e para o ano que vem, a MStudio pretende ter seu próprio estande no pavilhão do rádio na NAB. Sem o apoio e a visibilidade do Pavilhão Brasileiro, essa conquista seria muito mais difícil.”

Fábio Tsuzuki e Murilo Santos (Media Portal Soluções)

Media Portal Soluções
“Este ano, estamos trazendo uma solução focada em nuvem e hoje oferecemos uma solução híbrida competindo com o mercado internacional. Este é o terceiro ano que estamos participando de olho no mercado internacional, mas percebemos que a participação aqui é muito boa para fechar negócios no Brasil. Atendemos no pavilhão brasileiro muita gente do Brasil, que nos coloca em um nível comparativo muito bom com a ferramentas do mercado americano. É fundamental estarmos na NAB com o apoio extremamente profissional do pessoal da Apex e da Sindivel. E não é só uma questão financeira, mas também de visibilidade. É uma ótima estratégia para nós estarmos aqui”.

Paulo Damasceno (Hitachi)

Hitachi
“Este ano foi um ano muito bom para nós da Hitachi. Não havíamos participado nos últimos dois anos, mas agora voltando com o Sindivel o resultado foi muito bom. Percebemos um movimento um pouco menor este ano, mas em contrapartida foi mais direcionado às reuniões. Percebemos que as pessoas que vieram estavam já focadas e sabiam o que estavam procurando e isso foi muito bom para nós. Nosso principal mercado hoje é o mercado brasileiro e estar aqui no Pavilhão Brasil é uma grande oportunidade de ter contato com as empresas que vem participar da Feira. O pavilhão se torna um ponto de encontro dos brasileiros e isso nos dá a oportunidade de fazer bons negócios”.

Fernando Moura é professor Doutor do Curso de Jornalismo da Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo, e Francisco Machado Filho é professor Doutor do Curso de Jornalismo da UNESP em Bauru/SP