• PT
  • EN

Globo é premiada no IBC Award 2017

I B C 2 0 1 7  Parte I

por Fernando Moura, em Amsterdã

 

Marcelo Souza, diretor de tecnologia de Media Digital da Globo, recebeu o prêmio como melhor “paper” do Congresso no Big Screen Room no RAI, em Amsterdã

Marcelo Souza (Globo) participou do painel Beyond Traditional Broadcast – What next for de Industry? no espaço thefuture.tv durante o IBC 2017

O paper que ganhou o prêmio de melhor trabalho científico apresentado no Congresso IBC 2017, que se realiza junto com a feira, obteve o galardão pela inovação da sua temática. O paper: “Big Data for data journalism, enhanced business analytics and video recommendation at Globo” foi redigido por um grupo de engenheiros da TV Globo – Marcelo Souza, João Castellani, Daniel Monteiro e Carlos Octávio Quieroz e foi apresentado no IBC Conference: Truth, Trust &Transformation.
Entre as principais conclusões do paper está o fato de que o data journalism pode ser muito importante para o jornalismo moderno, uma vez que “analisar informações jornalísticas é uma atividade complexa”. Com o Data Journalism, na opinião de Marcelo Souza, “podemos obter informações em poucos segundos”, informações “relevantes que podem ser utilizadas pela equipe jornalística da empresa”.
O executivo brasileiro acredita que o Big Data veio para ficar e que “é mais do que uma tecnologia”, é uma forma de trabalhar e pensar as empresas de radiodifusão na atualidade. Para Souza, a tecnologia pode ser usada para oferecer feedback e eficiência na produção, e, para isso, é necessário “separar o joio do trigo”. O que a Globo tem feito, de acordo com o executivo, é trabalhar com um “mix de produtos e ferramentas de open source” para assim escolher o que pode ser experimentado, onde e como e, antes de escolher qualquer um, testar suas funcionalidades para ver quais se adaptam melhor a cada necessidade.
Falando de Big Data no jornalismo, Souza afirmou que é um recurso em avaliação e disse que está sendo usado em jornalismo para avaliar informações e tendências. Por este motivo o grupo que comanda na Globo criou uma arquitetura de referência para obter “Data” em jornalismo que parte de um conceito de informação pública – utiliza informações públicas – que são introduzidas em uma plataforma de analise criada pela emissora que obtêm informações em poucos segundos, já que pode analisar nesse período uma semana de informações. Souza disse que o workflow criado já processa uma meia de “250Gb de informação e pode oferecer informações, entre elas criar infográficos que representem o acontecido em uma semana no país”, e tudo em “7 segundos”.
Outra das utilidades apresentadas por Souza no IBC foram as denominadas “recomendações de vídeo” utilizadas para oferecer conteúdos aos assinantes do Globo Play que são baseadas em NLP (Natural Language Processing). Ainda foi apresentado o motor de analise para redes sociais implementando o NLP para processar as informações e obter “os mais falados” e os “mais vistos” para determinar dessa forma “a relevância dos produtos e conteúdos da empresa”. Para finalizar, Souza disse que “informação é poder”, por isso, este tipo de análise pode ajudar a democratizar as informações.