• PT
  • EN

Engenheiros e professores analisam tecnicamente a NAB 2018

NAB 2018“O OLHAR DOS ESPECIALISTAS DA SET”

Como diz a máxima: “em time que está ganhando, não se mexe”. A partir desta edição da Revista da SET — a exemplo do que fizemos nos últimos anos, nas edições posteriores à NAB, — apresentaremos, por meio do olhar dos “especialistas”, as novidades e os destaques da maior exposição da indústria audiovisual do planeta. Entre os assuntos ressaltados por nossos convidados, codecs, realidade virtual (VR), além de outras tendências do mercado de broadcasting

por Fernando Moura

A Revista da SET convocou, pelo quarto ano consecutivo, alguns dos seus associados e professores universitários para realizarem uma série de artigos de opinião que visam mostrar como os profissionais brasileiros viveram a experiência “imersiva” da exposição e olharam para os principais lançamentos da indústria.

O nosso intuito é levar ao leitor não só o olhar jornalístico do evento, senão também a visão profissional de quem vai até Las Vegas pesquisar, analisar e conhecer os equipamentos e soluções que podem ser úteis na infraestrutura da sua empresa, na sua vida profissional ou ver o que estão fazendo os seus provedores para definir o que fazer num futuro próximo.

Nesta edição, publicamos uma análise em primeira pessoa de Tom Jones Moreira sobre o futuro disruptivo da indústria e os codecs utilizados nesta mudança, e como a feira foi “dominada por câmeras, robôs autômatos, realidade virtual (VR) e alguns anúncios empolgantes no mundo IP e dos codecs”.

Francisco Machado Filho explora as novas soluções desenvolvidas com inteligência artificial (AI), afirmando que “a NAB apresenta o futuro da televisão mundial que pela primeira vez se baseia no relacionamento com o telespectador”.

Pela sua parte, Frederico Rehme analisa como os principais players tecnológicos se estão posicionando na indústria: “Fabricantes e desenvolvedores vendendo tecnologia, mas não soluções” que, segundo o diretor de Ensino da SET, fazem “engenharia umbilical” Ele diz que “satisfaz o ego de cientistas, a cobiçada visibilidade de empresas mas, em geral, não atende alguma necessidade do usuário”.

José António Garcia faz um levantamento de como vai a indústria após a adoção do padrão SMPTE ST 2110. Dezenas de fabricantes apresentaram vários novos produtos IP na feira. Na área chamada de IP Showcase, mais de 50 fornecedores mostraram produtos IP, interoperando de acordo com estes padrões produzidos pelo SMPTE nos últimos dois anos.

Ainda, Emerson Weirich avança para a análise das indústrias que convergem inovações emergentes utilizando novas ferramentas para o futuro da engenharia de áudio e vídeo, como blockchain, smartdevices, broadcast personalizado, assistentes de voz, inteligência artificial no fluxo de produção, smartspeakers, entre outras tecnologias.

Boa leitura!