• PT
  • EN
  • ES

Congresso SET EXPO 2017: IP se efetiva no mercado de satélites brasileiro

O painel “Soluções de próxima geração para TVs, OTTs e VODs com IP via satélite”, realizado na manhã desta terça-feira (22) no SET EXPO 2017, indicou as novidades da indústria satelital em um contexto de crescente utilização das tecnologias IP para transmissão de áudio e vídeo.

“O mercado iTV é um dos mais conservadores do mundo, mas o IP está chegando e estamos precisando nos adequar a isso. As necessidades dos nossos clientes estão mudando e nós também”, afirmou Ricardo Calderón, diretor comercial da Eutelsat do Brasil.

Foto: Gabriel Cortez

Jurandir Pitsch, vice-presidente de vendas da SES, lembrou que, em maio deste ano, a empresa criou uma divisão específica para vídeo, com 900 profissionais. “Uma das razões dessa mudança é justamente tentar entender o que os usuários dos nossos clientes estão buscando. Temos trabalhado cada vez mais com os ecossistemas IP, e nos estamos transformando cada vez mais em uma empresa de vídeo IP, e não mais apenas de MHZ”, disse.

Geraldo Cesar de Oliveira, gerente de produto da Star One, frisou que a indústria de satélite passa por um momento muito especial, não só sob o ponto de vista de aplicação, mas também do ponto de vista de tecnologia. “Quando a gente fala de IP e de novas tendências, falamos em comportamento de consumidor, de novas tecnologias, mas sobretudo de legado. Trabalhar com IP é difícil, mas, ao mesmo tempo, excitante. As novas aplicações serão em IP, sim, mas também não podemos deixar de atender os clientes que possuem outras necessidades”, ponderou.

Por Fernando Moura e Gabriel Cortez, em São Paulo