• PT
  • EN
  • ES

CAPER se apresenta pela primeira vez no Congresso da SET

A entidade argentina analisou a realidade do mercado e dos radiodifusores do país vizinho

SET e Caper firmam parceria e realizam sessão especial no Congresso SET EXPO 2016

SET e Caper firmam parceria e realizam sessão especial no Congresso SET EXPO 2016

A SET e a CAPER firmaram um convênio de cooperação no SET EXPO 2016. Um dos termos desse acordo deu à CAPER o direito de ter um estande no SET EXPO e uma palestra no Congresso da SET.

Para o presidente da CAPER (Câmara Argentina de Provedores e Fabricantes de Equipamentos de Radiodifusão, Broadcast, Cabo, Cinema, Satélite, Áudio e Iluminação) é fundamental a parceria com a SET para ter uma presença conjunta das duas entidades na América Latina

Para o presidente da CAPER (Câmara Argentina de Provedores e Fabricantes de Equipamentos de Radiodifusão, Broadcast, Cabo, Cinema, Satélite, Áudio e Iluminação) é fundamental a parceria com a SET para ter uma presença conjunta das duas entidades na América Latina

A CAPER é uma câmara que reúne as empresas provedoras e os fabricantes de equipamentos para a indústria audiovisual profissional: broadcast, TV Cabo, satélite, cinema, iluminação e áudio e se dedica à implementação de ações voltadas à promoção e ao desenvolvimento das atividades organizadas pelos seus associados.
A palestra contou com os principais integrantes da entidade, como o presidente da CAPER, Ricardo Solari, que destacou a parceria afirmando que “[o acordo] será importante para desenvolver a indústria de toda a região [América Latina]”.
Maria Sánchez, gerente geral da entidade, afirmou que “a transição de sistemas não acompanha a chegada de novos itens no mercado. Os câmbios tecnológicos são cada vez mais rápidos. Trabalhamos com o governo, transmitindo informação para que a atualização seja feita o quanto antes e assim diminua o tempo do processo de adequação,” lembrou.
Maria Eugênia Muscio, assessora técnica da câmara, falou sobre o processo de digitalização que o país vive. Pode-se perceber algumas semelhanças com o Brasil, como o fato das frequências liberadas serem utilizadas pelas empresas de telefonia móvel.
Diego Rodríguez finalizou a sessão e destacou o papel da TV Pública, o papel da TV Paga e o papel do que denominou de novos jogadores (como a Netflix) na radiodifusão. Antes, esses personagens eram antagônicos, hoje podem oferecer o mesmo tipo de serviço na plataforma que melhor se adapta ao serviço e fim de seu negócio.
Rodrigues encerrou sua apresentação destacando as três fases do processo de implementação da digitalização da TV a cabo, transmissão terrestre, satelital e nas plataforma Over the top. Em primeiro lugar entra o fato de consumir TV por internet. Em segundo, a consolidação do serviço oferecido que, de acordo com ele, é a fase que a América Latina se encontra. E a terceira e última fase é o State of Art, ou seja, disponibilizar produtos de internet com a mesma qualidade e tecnologia ao nível de broadcast.