• PT
  • EN

Ateme apresenta solução de encoding e transcoding

Prévia SET EXPO 2019

Empresa francesa se apresenta mais uma vez no Expo Center Norte com o objetivo de “mostrar mais uma vez nossa grande compatibilidade com os novos padrões de HDR do mercado”, afirmou Bruno Magalhães, diretor de desenvolvimento de clientes da Ateme no Brasil.
Magalhães disse à reportagem da Revista da SET que a empresa é “a única empresa a implementar em suas soluções de encoding e transcoding, todos os formatos mais utilizados pela indústria: HLG10, HDR10, HDR10+, Dolby Vision, PQ 10 e Advanced HDR”.
Na área de codecs a empresa demonstrará dois (2) novos formatos, “AV1 e VVC (evolução já em processo de definição do standard em relação ao codec atual H.265)”. Para a área de contribuição de vídeo, as novidades são o novo decoder totalmente baseado em software que “pode ser instalado em qualquer servidor de mercado (COTS)”, e o novo padrão de segurança de conteúdo, BISS-CA.
O BISS-CA, explicou Magalhães, é uma solução aprimorada e segura do protocolo BISS com suporte dinâmico a chaves rotativas, que, ao contrário de outras soluções proprietárias, permite a interoperabilidade de qualquer codificador (encoder) e receptor padrão, com um controlador de acesso condicional. “A solução pode adicionar ou remover um receptor específico, ou vários receptores em tempo real, sem qualquer interferência para outros receptores. É um padrão aberto e isento de direitos autorais (royalty free) desenvolvido em parceria com a “EBU Technology & Innovation” (Europa) para fortalecer a segurança de conteúdo ao vivo”.
Outra novidade é a solução para transcoding de arquivos “Titan File” que, agora trabalha com tecnologia de encoding distribuído com base em arquitetura de micro serviços, gerando ganhos surpreendentes de performance quanto ao tempo de processamento de arquivos de vídeo em definição ultra-HD. A empresa apresenta ainda a ferramenta de otimização de encoding para sistemas OTT chamada “CQR – Constant Quality Rate”. “Esta inovação economiza consideravelmente os custos de entrega de conteúdo das operadoras, além de melhorar a qualidade da entrega. A ferramenta baseada em uso de inteligência artificial gera uma redução de cerca de 30% quanto ao consumo de recursos de CDN e Storage em sistemas OTTs”, finalizou.