• PT
  • EN
  • ES

SET EXPO 2017: A visão da comunicação para o futuro do broadcasting e das novas mídias

Em painel realizado na tarde desta quinta-feira (24) no SET EXPO 2017, acadêmicos brasileiros da área de pesquisa em Comunicação analisaram as mudanças na cadeia de produção audiovisual e radiofônica brasileira e discutiram os desafios da academia e do mercado frente às transformações.

“Essa sessão é uma parceria entre a Unesp e a SET que já ocorre há cinco (5) anos. O objetivo é mostrar como os professores e a academia trabalham com os fenômenos da televisão e do rádio”, introduziu o professor de jornalismo da Universidade Anhembi Morumbi e editor-chefe da Revista da SET, Fernando Carlos Moura, que moderou a sessão.

Francisco Machado Filho, professor de Jornalismo e Rádio e TV da Unesp e diretor da televisão universitária da universidade, a TV Unesp, apresentou o trabalho de pesquisa e inovação realizado pela emissora, sediada Bauru, no interior do estado de São Paulo. “Além de trabalharmos com os conteúdos televisivos, por ser uma emissora universitária, também temos como função e objetivo as pesquisas. Em um contexto de convergência midiática, utilizamos o Ginga como uma ferramenta inclusiva. Se não fôssemos uma emissora universitária, talvez não tivéssemos essa preocupação. Mas, para famílias como as dos os usuários do Bolsa Família, acreditamos que o ginga ainda tenha potencial de inclusão”, destacou.

Com relação ao Ginga, Renato Tavares Júnior, professor das Universidades Anhembi Morumbi e Cásper Líbero, afirmou que as emissoras precisam estimular o seu uso, colocando, por exemplo, fotos exclusivas de determinada gravação de cena (uma festa de uma cena de novela). “A Globo chegou a personalizar o Ginga, mas será que isso é interessante? São decisões que as emissoras precisarão tomar para não deixar de fora o que acontece nas redes sociais”, ponderou. A cobertura completa da sessão e os dados apresentados pelos expositores você confere nas próximas edições da Revista da SET.

 

Por Fernando Moura e Gabriel Cortez, em São Paulo