• PT
  • EN
  • ES

Transição para faixa estendida e IP dominam cenário de Rádio no SET EXPO 2017

Mesa em IP da Biquad durante SET EXPO 2017

Desde que chegou ao Brasil, em 1922, o rádio brasileiro passa agora por uma de suas maiores transições: a migração do AM para o FM. O maior desafio das empresas é adequar seus equipamentos para receber a faixa estendida em FM, de 76 a 88 MHZ. “É uma tendência que certamente será dominante no próximo ano, por isso, a maioria dos fabricantes já está se adiantando e alguns produtos já podem ser conferidos na edição deste ano do SET EXPO”, explica o Diretor de Rádio da SET, Eduardo Cappia.

Para estarem prontos quando o decreto foi assinado, algumas empresas já desenvolveram novas versões de seus equipamentos em modelos na faixa estendida. “Os testes funcionaram muito bem. Há uma modificação muito pequena em relação aos modelos existentes hoje, podemos dizer que estamos preparados para a mudança que virá”, explica Ilton Favaro Junior, da IF Telecom.

Para que todos os fabricantes sejam obrigados a fabricar equipamentos desde a transmissão até a recepção na faixa FM estendida, é necessário que haja a homologação da portaria no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). “Embora exista o decreto, não existe o regulamento. O que se prevê é que em 2018 o cenário seja outro aqui no Brasil e todas as emissoras em AM tenham que assinar o decreto de migração para o FM”, explica Cappia.

Rádio em IP

Outra forte tendência que está chegando no país é a adequação das emissoras à tecnologia IP. “O IP facilita o trabalho do radialista na hora de configurar os equipamentos dentro do estúdio de transmissão. A grande novidade é que agora o material não precisa ser importado, ele é fabricado aqui no Brasil, barateando a mão de obra”, explica o diretor de Rádio da SET.

A Biquad, por exemplo já produz no Brasil processadores, receptores e consoles de IP. “Existem emissoras de rádio com um bom parque de engenheiros e eles não terão grandes problemas em se adequar à tecnologia. Mas é necessário ter uma rede de dados e uma rede de IP corretamente instaladas para que a tecnologia seja vantajosa”, explica  o vice-diretor de Rádio da SET, Marco Túlio Nascimento.

A instalação de um estúdio em IP pode ser concluída em torno de horas, ou no máximo dois dias, ao invés de uma semana como nos modelos usuais.

O IP já está em uso nas rádios do Brasil, mas em porcentagem pequena, “menos de 5% das emissoras”, esclarece Cappia. O motivo da baixa adesão é porque ainda é considerada uma tecnologia nova no mercado nacional, “a tecnologia chegou há cerca de cinco anos no Brasil. No exterior já existe há cerca de 10 anos, então já está mais consolidada. Esperamos que isso aconteça no Brasil nos próximos cinco anos”, acrescenta o Diretor da SET.

Entretanto, é importante educar os engenheiros de rádio e donos das emissoras sobre a importância do treinamento do IP. “Uma coisa que vejo no Brasil é que a maioria dos profissionais ainda têm medo do IP, e por isso nós difundimos massivamente a importância da reciclagem desses profissionais para receberem a tecnologia. Eles precisam entender o quanto essa tecnologia é vantajosa para eles, principalmente no setor financeiro, que pode resultar em uma economia de 30% em relação aos modelos analógicos”, pontua Juan Punyed, da The Telos Alliance.

Dia do Rádio no 29º Congresso de Tecnologia

Na quarta-feira (23) o 29º Congresso de Tecnologia concentrou grande parte dos painéis sobre rádio em sua programação. Os conteúdos permearam as áreas de regulatório, migração para a faixa estendida, canalização, receptores e transmissores; receptores ligados a plataforma digital (smartphone e hibrido – recebe o livre e chaveia para conexão de internet); e terminou o dia com a participação de radiodifusores relatando cases de sucesso na migração do AM para o FM.

“O SET EXPO está surpreendendo com audiência de público e seus conteúdos estão muito adequados ao momento de intensa transição tecnológica que estamos vivendo. Acredito que a maior reflexão que devemos fazer neste momento foi dita na cerimônia de abertura pelo Presidente da Google no Brasil, Fábio Coelho: ‘nesse processo de modernização, onde a sua empresa esta?’. E aqui nós conseguimos refletir sobre sobre isso com toda a cadeia de produção”, finaliza Cappia.

O SET EXPO 2017 vai até esta quinta-feira (24), no Expo Center Norte, em São Paulo.

Tainara Rebelo
No Comments

Post a Comment