• PT
  • EN
  • ES

Pavilhão da Grã-Bretanha exibe novidades de grandes empresas e pequenos inovadores

Por mais de 100 anos os britânicos se destacam como grandes inovadores em tecnologias de radiodifusão e outras mídias. Com tamanha tradição, empresas do país não podiam ficar de fora da SET EXPO 2015, maior evento de negócios e de tecnologia para broadcast e novas mídias da América Latina.

ELI_1945

Gil Cowie veio com um “carrinho estúdio externo”, que ele próprio criou. Como vendedor, faz uma defesa apaixonada de seu produto. “Uma vez que uma grande emissora tiver, todas vão querer”, afirmou. O SmartCart é uma plataforma móvel com uma tela visível mesmo sob intensa luz solar, touch-screen, que permite apresentação de cenas e estatísticas. “No esporte, você vai ao campo e não apenas entrevista o jogador. Você mostra a ele, na hora, as jogadas e pede que ele comente. Isso sim é fazer TV”, disse.

Paul Moskowitz apresentou os produtos da Vocality, que reduzem ruídos e interferências nas comunicações via satélite. Ideal para equipes de TV que atuam em situações difíceis, como na cobertura de guerras, porque melhoram e eficiência das comunicações em situações adversas.

A TSL Products veio com uma grande equipe, para consolidar parcerias e buscar novas. Há três anos a companhia tem um diretor para América Latina que fica baseado no Rio de Janeiro. “O Brasil é o maior cliente da América Latina, está muito avançado na transição para a TV digital”, avalia o diretor, Sérgio Bourguignon.

Além destas, outras sete empresas da Grã-Bretanha vieram à SET EXPO 2015: ETL Systems, Objetct Matrix, Peak Communications, Pebble Beach Systems, QLS Distribution, RT Software, SGL Software Generation Limited. “Algumas têm parceiros brasileiros e expõem em conjunto. As que estão no pavilhão receberam um subsídio do governo para estar aqui”, explicou Mark Birchall, que faz o apoio logístico às companhias britânicas.

Ele afirma que nem sempre há resultados imediatos, mas que o investimento se paga no longo prazo. “Às vezes leva dois ou três anos, mas depois que fecham negócios e consolidam parcerias, é por muito tempo. Vim para o Brasil pela primeira vez há 6 anos e já temos várias empresas que se consolidaram por aqui”, comemorou.

user-gravatar
SET Comunicação
No Comments

Post a Comment