• PT
  • EN
  • ES

Diversos padrões de transmissão, mas muitos problemas em comum

Especialistas dos principais sistemas de transmissão de TV Digital relataram as principais tendências e técnicas usadas nos próximos padrões

O início do segundo dia de apresentações na sala 17 contou com a seção sobre Evolução dos Sistemas de TV Digital Terrestre dos sistemas. A sessão, como moderação de Cristiano Akamine, contou com a participação de Julio Omi, professor da universidade Mackenzie, Dazhi He (NERC-DTV), David Wood (EBU) e Masayuki Sugawara (Dibege)

Julio Omi iniciou sua fala sobre o sistema ATSC 3.0, apresentando as pesquisas que a universidade Mackenzie tem feito sobre o sistema americano e suas metas macro. Focou sua apresentação no physical layer: novo FEC baseado em LDPC e constelação de vários tamanhos. Em seguida, Dazhi He falou sobre o futuro da televisão aberta na China. Fez uma breve apresentação sobre a NERC-DTV e exibiu o panorama atual da TV chinesa. A NERC-DTV tem o objetivo de ser a ponte entre a China e a América Latina.

David Wood tratou da próxima geração da TVD terrestre na Europa. Explicou os processos de DVB-T até a chegada do DVTB-T2-HEVC. Apresentou a visão da Europa sobre o futuro da televisão broadcast e apresentou as complicações da distribuição de conteúdo de para múltiplas plataformas. “Existe questões que a tecnologia pode resolver atualmente, mas nos devemos nos perguntar é o que queremos para o futuro? Qual é o propósito dos sitemas para o futuro?” Questionou Wood.  A pressão sobre o espectro e um problema mundial e que e até agora não há nenhuma decisão que possa assegura como será o futuro.

A sessão foi encerrada por Masayuki Sugawara, presidente da DiBEG. Sua fala foi centrada na atualização do progresso do ISDB-T e sua adoção em diversos países. Atualmente 18 países adotaram o sistema e japonês. Sugawara apresentou os estudos para utilização do 4K e 8K dentro do sistema ISDB-T e sua importância também para o sistema EWBS (sistema de radiofusão de alerta de emergência). Dentro do road map japonês está previsto para 2016 uma transmissão de satélite em 8k.

Fonte: Revista da SET

user-gravatar
SET Comunicação
No Comments

Post a Comment