• PT
  • EN
  • ES

CBS All Access é tema de palestra no SET E TRINTA

Robert Seidel, vice-presidente de Engenharia e Tecnologia Avançada da CBS, a mais importante rede de televisão dos Estados Unidos, confirmou sua participação no SET E TRINTA, seminário da SET no NABShow, que acontecerá em Las Vegas em abril.

Robert Seidel (CBS)

Robert Seidel (CBS)

O tema de sua palestra não poderia ser mais atual: ele falará sobre o CBS All Access, serviço de vídeo on demand que vem ocupando os noticiários pela agressiva estratégia de marketing que incluiu um promo especial no Super Bowl.

Analistas afirmam que o All Access mostra mudanças arrojadas no posicionamento da CBS no mercado. Em artigo publicado este mês, a revista Fortune aponta que, primeiro, os provedores de streaming de vídeo, como o Netflix e o Hulu, deixaram de ser somente aliados e passaram a ser vistos também como concorrentes e, segundo, a propaganda, essência da indústria televisiva, não é mais a principal fonte de receitas, dividindo espaço com as assinaturas.

“Quando eu comecei neste trabalho, há 20 anos, propaganda era tudo”, falou Leslie Moonves, presidente da CBS. “Propaganda ainda é importante, mas não mais do que estes novos modos de gerar recursos”, explicou.

De fato, desde seu início, a trajetória do CBS All Access tem sido de constantes inovações. Segundo a Variety, a plataforma foi lançada em outubro de 2014 com as 14 emissoras que formam a rede CBS. Originalmente, oferecia os episódios de séries, como as atuais The Big Bang Theory e CSI e clássicas como Star Trek, para os “grandes fãs” da emissora.

star-trek

Star Trek

Em abril e maio de 2015, 25 emissoras afiliadas juntaram-se ao serviço, criando um diferencial enorme se comparado ao dos concorrentes: programas regionais e ao vivo que atingem 64% dos domicílios americanos. “As afiliadas recebem uma porcentagem dos US$ 5,99, custo mensal individual da assinatura”, reportou a Variety na época. O assinante tem acesso ao serviço por múltiplas plataformas, como TV, tablet, computador e smartphone.

Ainda segundo a Variety, a ferramenta que controla a distribuição geográfica do conteúdo ao vivo chama-se Syncbak, cujos investidores, além da própria CBS, são a NAB e a CES.

Até agora, no entanto, o número de assinantes é mantido em segredo. Em novembro, para a Hollywood Reporter, Moonves foi vago: “o serviço tem se saído extremamente bem e além das nossas expectativas” afirmou ao concordar que o número estaria acima dos 100 mil. Agora, a Fortune, citando um analista da Jefferies, aponta que pode ser superior a 500 mil usuários.

Para completar, a CBS anunciou que lançará, em janeiro de 2017, uma nova saga totalmente repaginada de Star Trek, que será distribuída no All Access, além do canal de TV. A companhia cogita ainda tirar algumas séries do canal aberto e colocá-las exclusivamente no pacote on demand. “Star Trek é para o All Access o que House of Cards é para o Netflix”, explicou Moonves para a Reuters agora em fevereiro.

 

CBS All Access no SET E TRINTA

Robert Seidel, vice-presidente de Engenharia e Tecnologia Avançada da CBS, participará de Painel sobre Tecnologia, a ser moderado por Fernando Bittencourt, vice-presidente da SET, na terça-feira, 19 de abril.

As inscrições estão abertas no site da SET. Confira também os pacotes promocionais de viagens oferecidos para a Delegação Brasileira pela agência de turismo BrazilUSA, em parceria com a Embaixada Americana.

SET Comunicação
No Comments

Post a Comment