• PT
  • EN
  • ES

Novos padrões de TV e formatos ultradigitais são discutidos em mesa com pesquisador da NHK, do Japão, e VP do NAB

A mesa Evolução nos Padrões de TV, moderada pelo pesquisador do laboratório de TV digital e professor no curso de engenharia elétrica e do programa de pós-graduação em engenharia elétrica e computação do Mackenzie Cristiano Akamine discutiu os padrões ultradigitais em teste no Japão e o ATSC 3.0.

Kenizhi Murayama, pesquisador-sênior do NHK, deu uma visão-geral do serviço de transmissão digital no Japão e sobre o sinal 8K, testado em grandes transmissões no país desde 2015 (naquele ano, houve um teste de transmissão; em 2016, um novo teste foi feito durante os Jogos Olímpicos do Rio, sendo que o próximo ocorrerá durante a Copa do Mundo da Rússia, em 2018; por fim, o modelo de transmissão deve ser adotado para as Olimpíadas de Tóquio, em 2020). A NHK começou a testar o sistema em transmissões domésticas no ano passado. “O teste de transmissão feito no Rio, no ano passado, em parceria com a TV Globo, é o mesmo que implementamos depois no Japão”, relatou. Nos próximos anos, novos testes serão implementados em Tóquio e Nagoya.

Skip Pizzi, vice-presidente de Educação Tecnológica e Outreach da National Association of Broadcasters (NAB), falou sobre o ATSC 3.0, avançado padrão de transmissão de televisão terrestre que está quase pronto, cujas primeiras implementações já estão em andamento. O sistema, entre outras características, aumenta a capacidade de canais em 30%. “Os objetivos são melhorar a qualidade de áudio e vídeo, ter múltiplas transmissões tanto de áudio e vídeo quanto de captação, conteúdo customizado, uma gama maior de escolhas para o consumidor e para o transmissor, interatividade via internet, alertas avançados de emergências e novos recursos de acessibilidade”, relatou Pizzi.

Lisa Hobbs, vice-presidente de estratégia de portfólio de compressão comercial da Ericsson, voltou a discutir os próximos passos da TV agora na mesa comandada por Akamine. “A nova definição de TV está vindo dos dispositivos móveis. O tempo total de visualizações de vídeos cresce com o massivo crescimento das visualizações em dispositivos móveis. Os hábitos dos consumidores desses dispositivos evoluem com a percepção de que as transmissões de vídeo são ilimitadas.”

O diretor de vendas da SDB Multimidia, Platinum Partner e Centro de Reparos autorizado da Harmonic no Brasil, Sidnei Brito, juntou-se à discussão para versar a respeito das novas tecnologias e tendências que poderão auxiliar na redução das taxas de compressão para a transmissão, sobre o suporte aos diferentes formatos de HDR e de redes de transmissão para a distribuição dos sinais 4K/8K.

Assessoria de Imprensa SET EXPO
No Comments

Post a Comment