• PT
  • EN
  • ES

29º Congresso | Dia do Rádio é iniciado com painel sobre o balanço da migração AM-FM

23/08/2017
tudorádio.com

São Paulo – Processo conta com 1007 canais em FM “convencional” (88.1 a 107.9 FM) e 346 em FM estendido (FMe)

O “Dia do Rádio” no SET Expo 2017 foi iniciado hoje (23) com um painel que mostra um balanço do processo de migração AM-FM. Com Eduardo Cappia (SET/AESP/EMC) na moderação, a programação contou com André Cintra (Abert), José Mauro Ávila (Mega Sistema/AESP) e Cauê Franzon (Grupo RBS). Em destaque está o balanço de 1007 canais em FM “convencional” (88.1 FM a 107.9 FM) destinados à migração, com cerca de 180 estações já ativas no FM. E esse número deve aumentar, segundo Cintra. Acompanhe:
 Segundo André Cintra, 59 canais em FM convencional estão em “sobrestado”, ou seja, deverão ampliar o número de canais destinados ao processo após a liberação por parte do MCTIC. Outras 18 frequências em FM estão nas zonas de coordenação, ou seja, depende de acordos com outros países para serem utilizados pelo processo, já que tratam de localidades próximas das fronteiras. Outros 11 canais em FM estão em anuência (MCTIC). Em resumo, a expectativa é que o número atual de 1007 será ampliado.
Juiz de Fora foi uma das cidades que contaram com a possibilidade de acomodar migrantes AM-FM na faixa convencional, mas o processo ainda deverá ser liberado pelo MCTIC.

Cintra também informou a necessidade de revisões em algumas regras, como “vai todo mundo para o FM convencional ou ninguém”, pois com a nova “janela” para a migração AM-FM de emissoras que perderam o prazo, algumas cidades que já contam com migrantes em 88.1 a 107.9 FM ativas, como é o caso de Santa Maria (RS), local que conta com 3 FMs migrantes no ar, mas não comporta uma quarta migrante na faixa “convencional”.

Canais migrantes que ainda não encontraram espaço no FM convencional  

Receptores para a faixa estendida 
Segundo Cauê Franzon, vários receptores que estão disponíveis no mercado já contam com capacidade de captação do FM estendido (a partir da faixa 76 MHz), inclusive automotivos. Porém ainda existe uma necessidade de ampliação nessa oferta. Franzon destacou que o smartphone pode auxiliar de forma significativa na ampliação do FM estendido, já que os modelos de celulares que contam com FM ativo já são aptos a captar a partir de 76 MHz (quando se muda a área do rádio de “Américas” para “Japão”). Uma simples atualização já abriria a faixa com o “estendido” e o “convencional”.
Porém a presença do FM em celulares é algo que precisa ser acompanhado pelas entidades. Cauê mostrou o comportamento da ativação do FM em smartphones nos Estados Unidos, Canadá e México, este último superando a marca de 70% de celulares com FM ativo. Onde o sistema Android é predominante, a presença do FM é maior (já que vários modelos contam com a recepção disponível). Já o iOS (Apple) segura uma maior presença do FM nos Estados Unidos.
Esse quadro de receptores em FM, seja por celulares ou em outros formatos/aparelhos, será abordado no painel FM no Celular e o Rádio no Painel do Carro – Caminhos para o Futuro do Rádio, com moderação de Marco Túlio (marcado para as 14h00).
Cuidados técnicos 
José Mauro Ávila fechou o painel mostrando exemplos de modulação, níveis de RDS e cuidados na instalação de transmissores. O engenheiro do Mega Sistema de Ribeirão Preto chamou a atenção para detalhes que podem minar a qualidade de cobertura e audição das atuais FMs e futuras migrantes AM-FM, prejudicando o espectro e também a audiência da emissora. Dependendo da modulação, ela pode até “agredir” o ouvinte, que vai preferir acompanhar uma outra rádio devido a sensação de incômodo com o processamento, independente do equipamento utilizado.
SET Comunicação
No Comments

Post a Comment