• PT
  • EN

SET Sudeste 2018: Desafios para implementar o sinal de TV Digital

No atual estágio de migração da TV analógica para a TV digital, as restrições econômicas requerem soluções criativas e engenhosas para atender aos novos requisitos

As transmissões, antenas e área de cobertura foram o tema do último painel desta quinta-feira, 10 de maio, no SET Sudeste 2018, que se realiza na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. O painel foi moderado pelo diretor da ABERT, André Cintra.

Ramiro Franco, gerente do departamento de engenharia de projetos e desenvolvimento na Ideal Antenas, abordou o conceito do sistema de transmissão combinado. Segundo o executivo, a propagação do sinal nessa tecnologia tem a vantagem de dar às emissoras as mesmas condições de cobertura e qualidade de sinal. “A diferença ficaria restrita à qualidade do conteúdo que cada TV produz para o espectador”.

Já o gerente comercial da IF Telecom, José Roberto Elias, relatou algumas das dificuldades e a criatividade para vencer desafios aparentemente inviáveis do ponto de vista técnico e econômico. “Não basta fabricar o produto, é preciso gerenciamento de instalação em campo, sistema combinado, diversidade de produto, antenas leves e aplicáveis, produtos e componentes de qualidade, entre outros fatores”.

Yasutoshi Miyoshi, CSO da Hitachi Kokusai Linear

José Roberto Elias, gerente comercial da IF Telecom

Para o CSO da Hitachi Kokusai Linear, Yasutoshi Miyoshi, as mudanças tecnicamente não apresentarão grandes saltos. Ele argumentou que as mudanças maiores estão no conceito operacional do negócio. Segundo Miyoshi, os principais desafios são o tributário, o regulatório, o domínio e a disponibilidade local da tecnologia e, por fim, a força de trabalho.

“Como temos o prazo de migração até 2023, existe o risco de hiato do mercado de 2019 a 2022 em relação à função dos operadores do setor. Como faremos? É preciso pensar nisso”, questionou o CSO da Hitachi.

A dificuldade para se chegar a cidades de menor porte foi o tema da fala do coordenador de projetos de radiodifusão da SM Facilities, Luiz Ricardo Tonin. Ele afirmou que o alto custo de instalação de estações de sinal digital é um motivo para as emissoras terceirizarem o trabalho. Segundo Tonin, aproximadamente 40 milhões de pessoas ainda estão sem sinal digital no Brasil.

“Isso corresponde a 75% do extenso território nacional. Podemos resolver essa questão se a emissora deixar de ser a responsável por colocar o equipamento no local e deixar que a infraestrutura seja realizada por parceiros, que vão entregar o sinal e a manutenção dele. Tudo passa, então, a ser concentrado no gerenciador, como acontece com as operadoras de celular”, defendeu o representante da SM Facilities.

Para assistir ao SET Sudeste 2018, não é necessário realizar inscrição prévia no evento. Basta acessar o link: https://www.youtube.com/user/SETengenhariaTV

SERVIÇO:

Local: Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Praça XV de Novembro, 20, térreo, centro. Rio de Janeiro/RJ

Data: 10 e 11 de Maio

Horário: 8h às 19h

Por Eduardo Miranda (Rio de Janeiro), e Fernando Moura (São Paulo)