• PT
  • EN
  • ES

SET Centro-Oeste apresenta metodologia de testes de recepção do sinal de TV Digital

Em palestra na tarde desta quarta-feira (23), no SET Centro-Oeste 2016, Eduardo Bicudo (SET/Systec/EBcom) apresentou uma “Metodologia de testes para avaliação da recepção do sinal de TV Digital ISDB-T” ao público no Hotel Brasília Imperial.

“A nossa proposta é identificar os problemas de cobertura da TV Digital, estudar locais para instalação de Gap Fillers ou SFN, analisar o sinal digital na borda de cobertura e realizar medições de campo utilizando a metodologia de radiais. Fazemos um drive test com o carro em movimento e temos a possibilidade, então, de medir oito canais simultâneos, realizando uma análise pontual”, explicou.

A metodologia proposta por Bicudo utiliza círculos concêntricos no planejamento da medida de campo por radiais sobre o mapa das cidades. “A partir da torre de transmissão, é traçado o círculo a cada 3 Km, de acordo com a área geográfica da cidade. Cada ponto de intersecção entre o círculo e a radial é um ponto da medida ponto a ponto. Na medida em movimento (Drive Test), o carro procura andar sobre a radial. O drone é um equipamento que nos oferece uma tecnologia de apoio para análises técnicas, tanto uma análise subjetiva das antenas das casas, quanto uma análise de estruturas de torres”, comentou.

Em São Paulo, em julho de 2016, a equipe de Bicudo mediu 11 canais digitais e um canal analógico. “Percorremos 1.376,4 Km e medimos 218.303 pontos e clusterização de 10 metros. Cada ponto medido corresponde a um raio de cinco metros. A altura da antena monopólio do solo é de 2,3 metros. Em laboratório, é realizado o modelamento de canal, considerando a recepção fixa com a antena à 10 metros do solo. A duração dos testes de campo é de 60 horas”, lembrou. “A mediação de campo tem custo elevado e demorado. Se for ponto a ponto, somos obrigados a parar em cada ponto de medida. Sugerimos que as emissoras façam o trabalho em parceria. É importante que as emissoras saibam qual é a sua real mancha de cobertura”, finalizou o palestrante.

“A vez das antenas de polarização cruzada”

img_5658Encerrando as palestras do SET Centro Oeste 2016, Wagner Bastos (EBC), apresentou as “Aplicações de antenas com polarização cruzada em transmissões terrestres para a nova geração da TV Digital”.

O engenheiro defendeu as antenas de polarização cruzada pelo fato de os sinais emitidos por elas não serem afetados pela rotação de Faraday ao atravessar a atmosfera e/ou a ionosfera. “Além disso, é uma antena que não requer polarização”, ponderou.

O palestrante também apresentou, de maneira breve, o projeto de mestrado que desenvolve na Universidade de Brasília a respeito do tema e recebeu elogios de Eduardo Bicudo ao final da sessão.

Ainda antes do encerramento do evento, dois brindes foram sorteados por Emerson Weirich, organizador do SET Centro-Oeste 2016. Confira fotos na galeria abaixo.

 

 

Galeria Revista da SET