• PT
  • EN
  • ES

SET Norte 2017: como monetizar no ambiente multiplataformas?

Automatização dos serviços e personalização dos anúncios podem intensificar crise no modelo de broadcast financiado por publicidade

A diretora de marketing da SET e SVP da AD Digital, Daniela Souza, abordou os impactos da revolução digital na indústria de mídia e entretenimento, em palestra na tarde desta quinta-feira (30) no SET Norte 2017. Na hot session Indústria em transformação – a busca de uma fundação digital, a executiva lembrou que nos encaminhamos para a quarta etapa da revolução digital com a automatização dos processos e dos serviços.

Os living services  – como carros autônomos, geladeiras inteligentes e outras aplicações automatizadas – farão com que as marcas possam dialogar diretamente com os consumidores, na opinião de Daniela, e os broadcasters devem estar atentos a isso. “Os anunciantes passarão a ter uma relação super (sic) direta com os consumidores. Esse fenômeno não vai acabar com a televisão tradicional. Mas essa é uma realidade em relação à nossa cadeia de valor. As receitas de publicidade hoje já são dividas com o Google, a Amazon, o Facebook e o Netflix. Em poucos anos, com geladeiras inteligentes, por exemplo, as aplicações automatizadas e personalizadas aumentarão essa crise no modelo de broadcast financiado por venda de publicidade.”

A questão a ser respondida pelos radiodifusores, de acordo com ela, é: como monetizar conteúdos nos próximos anos em múltiplas plataformas? “Passaremos a receber bilhões de cents de usuários e não mais milhões de dólares de anunciantes”, destacou.

A Comcast, por exemplo, inseriu o Netflix em seu set-top-box, lembrou Daniela. “Se o conteúdo é rei, a distribuição é a rainha. Precisamos pensar nisso. A transformação do negócio precisa ser gradual. Os dados dos usuários devem ser levados em conta, assim como a digitalização das operações. Uma fundação digital, isto é, um sistema e uma infraestrutura digital são fundamentais. Precisamos construir um framework para traçar a melhor estratégia digital para cada grupo.”

O Globo Play é um bom exemplo, na opinião da executiva, de como fazer a transição para uma fundação digital. “A estratégia do SBT no Youtube também é interessante. Há uma aproximação e as experimentações vêm sendo feitas. A mineração de dados em relação ao usuário também é uma preocupação que os broadcasters devem passar a ter. É preciso concluir o shift do SDI para o IP, virtualizar os processos e re-imaginar os conteúdos. Utilizar a computação cognitiva e a inteligência artificial para manejar os acervos de vídeo também é fundamental”, concluiu.

Leia também: SET Norte discute switch-off analógico em Manaus

Leia também: Mercado satelital se adapta à convergência

SET Norte 2017

A SET realiza nestas quarta (29) e quinta-feira (30/11) o SET Norte 2017, em Manaus. O evento chega a sua décima sétima edição com o foco no switch-over do sinal analógico no Brasil e nas transformações da indústria.

O SET Norte é um seminário sobre as principais tendências tecnológicas na área do audiovisual para a produção e distribuição de conteúdo em ambientes multimídia. É parte integrante de uma série de encontros organizados pela SET há 20 anos, em todas as regiões do Brasil (SET Sul, SET Norte, SET Centro-Oeste, SET Nordeste e SET Sudeste).

Local: Studio 5 Centro de Convenções (Av. Gen. Rodrigo Otávio, 3555 – Distrito Industrial, Manaus)

Horário: 8h30 às 18h

Programação e inscrições, clique aqui.

Para acompanhar ao vivo, visite este link.

Fique atento: Confira os horários de início da transmissão ao vivo devido às diferenças de fuso horário

***Por Gabriel Cortez, em Manaus, e Fernando Moura, em São Paulo