• PT
  • EN
  • ES

TQTVD de olho na TV aberta

Empresa tem como foco prover o middleware Ginga para o sistema de TV digital

David Britto (TQTVD )

David Britto (TQTVD ) afirmou que a nova versão do AstroTV+ foi embarcada em receptores distribuídos aos beneficiários do Bolsa Família através do programa Kit Conversor e oferece ainda: recursos de segunda tela (integra tablets / smartphones); OTT; PushVoD; loja de aplicativos; browser HTML5; compatibilidade com TVs de tubo (4:3), Full HD e 4K (UHD)

A desenvolvedora de soluções TQTVD apresentou o AstroTV+ (Plus) em seu estande no SET EXPO 2016. O produto é uma evolução do AstroTV, o middleware Ginga “líder de mercado adotado pelos principais fabricantes de TV e set-top boxes, presente em mais de 15 milhões de aparelhos no Brasil e na América Latina”.
Além do suporte à interatividade Ginga, a nova versão do produto une a experiência de se assistir televisão aberta (conteúdo linear) e a WebTV (VoD), permitindo o acesso a canais de vídeo via Internet igual ao acesso a canais de TV Digital. A versão do AstroTV+ conta com uma nova interface de usuário e mais serviços, como o acesso ao portal de conteúdos interativos do Governo e o suporte à acessibilidade através dos recursos de áudio locução e libras. Atende ainda à proposta do Perfil C do Ginga, que estabelece 512MB de memória RAM, 2GB para armazenamento de aplicações, e prevê o suporte à execução de um segundo vídeo, ativado por aplicações interativas.
O diretor técnico da empresa, David Britto afirmou que “considerando o sistema brasileiro de TV Digital, o Ginga é a inovação nacional mais relevante. O grande desafio para prover o Ginga é o fato da TV Digital não ser tão conhecida no Brasil. Cada local em que o switch-off está acontecendo, está sendo necessário uma campanha em larga escala, intensa de marketing para conscientização da população de que o sinal analógico será desligado. Só isso indica que a TV digital é desconhecida dos lares brasileiros,” afirmou.
Britto destacou que a SET EXPO é importante “porque todos os envolvidos na radiodifusão brasileira estão presentes e isso gera uma oportunidade de discutir a evolução da tecnologia para que o nosso sistema seja sempre eficiente e atenda aos interesses dos radiodifusores,” disse.