• PT
  • EN
  • ES

TV Paga ganha relevância na Classe C

ABTA 2016

por Fernando Moura, em São Paulo

Oscar Simões afirmou à Revista da SET que a ABTA continua solicitando aos governantes a isonomia impositiva. “Ou pagamos todos ou não aceitamos. Queremos que se regulamente para todos, seja TV por Assinatura ou serviços de OTT”

Um dos dados mais relevantes da pesquisa apresentada na 24ª edição da Feira e Congresso ABTA é o crescimento da importância da TV por assinatura para a classe C, o maior grupo da sociedade brasileira.
A pesquisa realizada pela empresa Plano CDE indica que a maioria dos integrantes da Classe C passam seu tempo livre dentro de casa assistindo TV e que esta é a principal forma de lazer para 78% desta população, sendo que 74% citam especificamente a TV por assinatura como uma das formas preferidas de entretenimento.
A pesquisa ouviu 500 assinantes nas cinco regiões do Brasil, pertencentes às classes B2 e C (com renda familiar entre R$ 1,4 mil e R$ 4,4 mil), entre 18 e 69 anos, que representam a maioria da população. Ainda foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa etnográfica com 16 famílias assinantes de TV por Assinatura das cidades de São Paulo, Santa Bárbara d’Oeste, Recife e Guaranhuns, assumindo que todas são impactadas pela programação da TV paga.
Da análise dos resultados infere-se que assistir a programas em canais pagos também é um dos momentos de reunião da família, já que 72% dos entrevistados afirmam que este é um momento de reunião, ficando atrás apenas das refeições no lar (79%).
Os entrevistados afirmaram também que, em 91% dos casos, a TV por Assinatura é atrativa porque tem mais opções de programação; porque com a TV por Assinatura “conheci culturas de países diferentes sem sair de casa” (84%); e “com a TV por Assinatura sinto que sou/ minha família é mais informado/a sobre notícias de Brasil e do mundo” (70%).
Nesse âmbito, a pesquisa inquiriu as pessoas perguntando de que maneira a TV paga influencia na sua vida. Para 79%, este veículo oferece opções culturais para sua família; para 52%, os canais pagos ajudam na educação; 47% disseram ter adquirido hábitos mais saudáveis acompanhando programas da TV paga, enquanto 64% dizem ter aprendido a elaborar novas opções alimentares.

Post Tags: