• PT
  • EN
  • ES

Recursos wireless para telejornalismo

NAB 2016 “O OLHAR DOS ESPECIALISTAS DA SET” 

 


pag58-1Em todas as edições da NABShow dos quais participamos – e não são poucas, já que completamos 29 deles ao incluirmos esse de 2016 – sempre nos deparamos com tecnologia pronta para ser incorporada ao nosso workflow, como também com tendências, que podem simplesmente sair de cena já no ano seguinte, ou firmar-se nos anos subsequentes.
Porém, nesse ano, nossa atenção ficou mais voltada para a evolução das tecnologias promissoras, isto é, já adotadas, aceitas.
Percorrendo a área dos exibidores de soluções e comparecendo ao painel de palestras “Advanced Newsgathering Technologies”, pudemos observar as seguintes evoluções:

Câmeras Wireless
Seguindo a trilha dos “mochilinks”, começamos a notar, há uns 2 anos, a tendência de migração dos recursos do referido equipamento para dentro das câmeras. Isso vem se constando com as câmeras JVC, Panasonic e Sony, porém ainda sem plenas condições de competirem com os incríveis e cada vez melhores, e em maior profusão mochilinks.
Essa tendência sinaliza uma mudança ainda mais radical no modus operandi das redações de telejornalismo, onde as matérias poderão chegar “online” ou quase online ou até mesmo já editadas, abreviando sobremaneira o tempo decorrido entre a captação e a exibição.
Aquilo que já é fato em algumas redações tende a se tornar prática corrente, com a disseminação do recurso. Outro fato notado na NABShow 2016 foi a consolipor dação do uso das conexões wireless, em substituição aos cabos entre switchers, CCUs e câmeras.
A JVC fornece sua própria solução para suas câmeras.

A ABonAIR, fornecedora de enlaces bidirecionais para várias marcas de câmeras, lançou o AB525, com a especificação de um delay sub-frame de 7ms para seu link de microondas, com compressão H.264. Mais informações no QR Code.

Rádios Microondas
A evolução da solução que conhecemos como “mochilink” (cuja operação apoia-se, principalmente, na rede de telefonia celular) tem levado algumas empresas de broadcasting a substituir, em determinadas circunstâncias, as chamadas unidades portáteis de telejornalismo (UPJ) – cujo canal de transmissão, via de regra, são enlaces de rádio microondas – pelo referido equipamento. Muito provavelmente, o fato citado, tirou a indústria de rádios microondas da situação de conforto na qual vivia há décadas, levando-a a inovar.
A Vislink é um exemplo disso, no painel de palestras acima citado apresentou sua solução inovadora (News IP systems), e ao compará-la ao mochilink, contrapôs a qualidade e confiabilidade típica dos enlaces que operam nas frequências exclusivas destinadas à radiodifusão, agregadas a outras funcionalidades, tais como múltiplos acessos, largura de faixa muito maior quando comparada ao celular, baixa latência e canal de transmissão muito menos susceptível a interferências, além do link de dados bidirecional e endereçamento IP. A Vislink enfatiza que essa última funcionalidade constitui-se em uma revolução na maneira de se produzir telejornalismo ao vivo, pois permite:
• Transferência de arquivo a partir do local de onde se está transmitindo.
• IFB/talkback, teleprompter e outros dispositivos e serviços baseados em IP.
• Acesso a switchers e MAM a partir das UPJs.

Ainda em relação aos avanços dos enlaces de rádio para ENG, pudemos assistir à palestra da Silvus Tecnologies (Leading the MIMO revolution – MIMO RF Systems for ENG) que mostrou como se pode aplicar a teoria de múltiplas antenas de transmissão e recepção (MIMO) aos serviços de ENG, visando a sua otimização em 2 aspectos primordiais, quais sejam – eficiência espectral e suscetibilidade à interferência.
Demonstrou-se ainda que a performance da técnica MN-MIMO (Mobile Networked Multiple Input Multiple Output) em redes wireless, pode proporcionar ganhos significativos, ainda mais implementando-se conjuntamente antenas inteligentes que produzam beam-forming.

Sugiro uma visita ao site para maiores detalhes a respeito no QR Code abaixo:

 

Drones
Os drones, cada vez mais, tornam-se recurso indispensável na cobertura de eventos, por motivos já largamente sabidos – baixo custo e tomadas impactantes. No painel de palestras “Advanced Newsgathering Technologies” falou-se muito sobre drones, sobretudo sobre regulação de uso.
Os Estados Unidos já tem uma regulação vigente, com várias isenções – cerca de 333 modificações ligeiras da regra, muitas delas para a industria do cinema e da TV. A tecnologia continua evoluindo bastante. Nesse NABShow, pudemos assistir às demonstrações do Phantom 4 da DJI. Foram incorporadas funcionalidades na manipulação do drone, propriamente dito, que facilitaram seu controle e o tornaram ainda mais estável, de tal forma que uma pessoa apenas consegue atuar como cinegrafista e piloto. A DJI continua dominando o mercado de drones com uma participação de aproximadamente 74% no mercado americano.

Mochilinks
Como dito anteriormente, a evolução tecnológica desses equipamentos vem sendo bastante acentuada a cada ano. Nos últimos meses, apareceram no mercado soluções que utilizam o H.265 como ferramenta de compressão de vídeo.
Visitamos o estande da Soliton Systems para conhecermos um pouco mais o Smart-Telecast Zao, por tratar- se de um produto que já utiliza compressão H.265. Afirmam os engenheiros da Soliton, que a performance superior do equipamento não se deve unicamente ao H.265, mas principalmente à tecnologia proprietária RASCOW (Real-time Auto Speed Control based On Waterway model) embarcada, que otimiza a comunicação móvel.
Ainda segundo os engenheiros da Soliton, essa tecnologia proporciona uma estabilidade de imagem sem precedentes, mesmo em situações de congestionamento da rede celular ou em condições de sinal fraco.

Maiores detalhes no QR Code abaixo:

 

Paulo Roberto M. Canno é diretor de Tecnologia da Rede Gazeta do ES/ SET . Graduado em Engenharia Elétrica pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo e Pós-Graduado em Gestão Empresarial pela FGV. Desde 1986 na Rede Gazeta do ES (Afiliada a Rede Globo), onde ocupa o cargo de Diretor de Tecnologia e é responsável por toda a infraestrutura tecnológica que suporta as emissoras de Televisão e Rádio do grupo.
Contato: pcanno@redegazeta.com.br

 


baixar PDF