• PT
  • EN
  • ES
Lisa Hobbs

Aplicações Inovadoras para a Próxima Geração de Radiodifusão

A Radiodifusão de Televisão Terrestre mudou muito pouco desde que as primeiras transmissões pelo ar foram realizadas. A tecnologia mudou de: preto e branco para cores, analógico para digital e no aperfeiçoamento dos algoritmos de compressão. Mas, em geral, a aplicação permaneceu gratuita para transmissão em massa.

Tudo isso está prestes a mudar, no entanto, com a concretização do novo padrão ATSC 3.0. No seu núcleo, o padrão ainda fornece um meio para transmitir a programação no ar aos telespectadores. Mas se as emissoras pensam que esta é simplesmente uma nova maneira de fazer o que sempre fizeram, é improvável que sejam radiodifusores por muito tempo.

O ATSC 3.0 consiste em padrões projetados para permitir que os radiodifusores alcancem o objetivo de distribuição de conteúdo “a qualquer hora e em qualquer lugar” já adotado por provedores de conteúdo e operadores de cabo/satélite/telecomunicações. Isto permite que eles forneçam conteúdo diferentes com base nas preferências do espectador. E permite que eles consigam tudo isso alavancando algumas das tecnologias atualmente utilizadas pelas operadoras de redes móveis – trazendo a possibilidade de cooperação.

Esta apresentação se concentrará em algumas das novas aplicações que se espera que sejam introduzidas pelos radiodifusores aproveitando o sistema ATSC 3.0 e a aplicação em operação comercial na Coréia do Sul. Se espera que os radiodifusores no mundo comecem a pensar em novas maneiras de alavancar seus padrões existentes (ou modificados) para concretizar oportunidades similares em seus próprios mercados.

Celso Hatori