• PT
  • EN
  • ES
Mario Janini

Tendências do Mercado

Para manter a qualidade geral da imagem, ou seja, manter ou aprimorar a latitude (HDR), textura, belos tons de pele, baixo nível de ruído, o sensor tem que aumentar de tamanho comparado ao Super 35, podendo ser full frame ou ainda maior, como o caso do novo bocal da ARRI PL-X que está na ALEXA 65.

Celso Eduardo de Araujo Silva

Ingressou na TV Globo em 1973 como Técnico de Manutenção da Central Globo de Engenharia, no Rio de Janeiro. Onde esteve cerca de 12 anos em Manutenção, período em que teve a oportunidade de desenvolvimento em alguns setores, tais como câmeras, lentes, vídeo-tape, áudio, switchers, roteadores, e até mesmo na gestão de Sistemas e Equipes, bem como a gestão das Operações de Produção e também em Eventos Esportivos, Concertos e Shows. Desde os 80 está envolvido com a adequação e exigências para a produção de dramas para a TV com aquisição em filme 35 mm, com os fabricantes de emulsão, laboratórios de processamento além das empresas das casas de finalização e transferência. A partir de 1998 inicia o estudo e desenvolvimento da HDTV para aplicação na área de produção de drama na TV e no Cinema Digital. Líder do projeto e integração do canal a cabo e satélite SHOPTIME na migração para o digital. Desde 2003 até a presente data na pesquisa e desenvolvimento do processo de captura de vídeo HD e seus impactos para as áreas de Cenografias, Figurino, Caracterização e Maquiagem, Iluminação e Pós-Produção. Implantação do processo de captura e pós-produção do Vídeo HD no formato LOGARITMICO com câmeras de grandes sensores, Séries “CAPITU” e “MAYSA”, Filme “OS NORMAIS II”. Associado fundador da Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão, SET, e desde 2005 como Diretor de Cinema Digital. Graduado na CEFET de Campos em Mecânica de Máquinas e Engenharia Operacional Eletrônica da Universidade Santa Úrsula, MBA em Gestão de Empresas do IAG PUC-Rio