• PT
  • EN
  • ES

O papel dos satélites dentro do conceito de “conteúdos audiovisuais em qualquer lugar, a qualquer instante”

Em tempos de bandas Ka, Q e V, HTS, VHTS, “tera bit satellites”, retorno em futuro próximo dos LEOs agora turbinados, entre outros avanços e com preços cada vez mais competitivos, ampliam-se as aplicações nas quais os satélites passam a viabilizar mais projetos com necessidades de comunicações terrestres, marítimas e aeronáuticas. Sejam com terminais fixos, móveis ou transportáveis, nas cidades, nas estradas e vias longínquas, nas regiões rurais, nos locais de mais difíceis acessos, em áreas avassaladas por desastres naturais, nas fronteiras, nos mares, rios e nos ares, soluções satélites podem resolver para os mais diferentes segmentos de mercado, entre outros numa visão macro, o das operadoras de telecomunicações, entidades civis governamentais, não governamentais, militares, corporativos, redes de varejo, internet e de mídia. No caso do segmento de mídia, ressaltamos que além dos tradicionais serviços fixos, ocasionais e programados de contribuição e distribuição de conteúdos principalmente para emissoras de TV aberta, TV por assinatura, DTH, programadoras e produtoras, cresce a busca por entregas de conteúdos IP via satélite, diferenciados em qualidade, disponibilidade e com preços mais competitivos para viabilizar de imediato Ultra-HD, Vídeo Streaming, OTT e novos lançamentos. Dessa forma, estão em estudo novas opções via satélite para a industria de mídia pelas principais empresas de broadcast, agencias de notícias, confederações/federações esportivas, empresas da indústria do cinema, provedores de conteúdos, OTT e pelas demais organizações que efetuam serviços de transmissão de conteúdos audiovisuais via internet.